terça-feira, 6 de novembro de 2018

O QUE É PDF?

É uma sigla inglesa que significa Formato Portátil de Documento (Portable Document Format - PDF). 

É um formato de arquivo usado para exibir e compartilhar documentos com segurança, independente do software e do hardware ou sistema operacional.

Esse formato foi criado pela Adobe e é um padrão mantido pela ISO (International Organization for Standardization).

Os PDFs podem conter links, botões, campos de formulários, áudios, vídeos e lógica de negócios.

Eles também podem ser assinados eletronicamente. além disso, você pode incluir uma proteção de senha para impedir que outros copiem ou editem o conteúdo e até mesmo encontrar e remover dados ocultos.

Em 1991, o cofundador da Adobe Dr. John Warnock iniciou a revolução do impresso ao digital com uma ideia que ele chamou de "The Camelot Project". O objetivo era permitir que qualquer pessoa pudesse captar documentos de qualquer proveniência, enviar versões eletrônicas desses documentos a qualquer lugar e exibi-los e imprimi-los em qualquer computador. Em 1992, o Camelot se tornou o formato PDF. Hoje é o formato no qual empresas no mundo todo confiam.

sexta-feira, 13 de abril de 2018

COPIAR PASTAS USANDO ARQUIVO BAT

Vamos direto ao assunto:

@echo off
xcopy "c:\Nome da Pasta Origem\*.*" "c:\Nome da Pasta Destino\" /E/Y/C/H/D
cls
echo.
echo Back-Up concluído com sucesso!
echo.
pause
exit




VEJA ALGUNS PARÂMETROS


/ A Copia somente arquivos com o atributo de arquivo definido, não altera o atributo.
/M Copia somente arquivos com o atributo de arquivo definido, desativa o atributo de arquivamento.
/ D: mda Se nenhuma data for definida, copia somente os arquivos cujo tempo de origem é mais recente que o horário de destino.
/ EXCLUDE: arquivo1 [+ arquivo2] [+ arquivo3] … Especifica uma lista de arquivos que contêm sequências. Quando qualquer uma das sequências de partida de qualquer parte do caminho absoluto do arquivo a ser copiado, esse arquivo será excluído de ser copiado. Por exemplo, especificar uma sequência de caracteres como \ obj \ ou. Obj excluirá todos os arquivos sob a pasta obj ou todos os arquivos com a extensão. Obj extensão, respectivamente.
/P Solicita confirmação antes de criar cada arquivo de destino.
/S Copia pastas e subpastas exceto as vazias.
/E Copia pastas e subpastas, incluindo os vazios. O mesmo que / S / E. Pode ser usado para modificar / T.
/V Verifica cada novo arquivo.
/W Solicita que pressione uma tecla antes de copiar.
/C Continua a copiar mesmo se ocorrer erros.
/I Se o destino não existir e estiver a copiar mais de um arquivo, pressupõe que o destino deve ser um diretório.
/Q Não exibe nomes de arquivos ao copiar.
/F Exibe fonte completo e os nomes de arquivo de destino ao copiar.
/L Exibe arquivos que seriam copiados.
/H Copia arquivos ocultos e de sistema também.
/R Substitui ficheiros só de leitura.
/T Cria a estrutura de diretório, mas não copiar os arquivos. Não inclui pastas ou subpastas vazias. / T / E inclui pastas e subpastas vazias.
/U Copia apenas ficheiros que já existem no destino.
/K Copia arquivos e mantém o atributo somente leitura nos arquivos de destino, se estiver presente nos arquivos de origem.
/N Cópias com os nomes curtos gerados.
/O Copia a posse do arquivo e informações de ACL.
/X Copia arquivo de configurações de auditoria (implica / O).
/Y Suprime o prompt para confirmar se deseja substituir um arquivo de destino existente.
/-Y Exibe o prompt para você confirmar se deseja substituir um arquivo de destino existente.
/Z Copia em uma rede no modo reinicializável.

terça-feira, 1 de agosto de 2017

QUAL A DIFERENÇA ENTRE CC E BCC?

Você que já enviou ou deseja enviar um email, deve ter visto duas palavras e se perguntado: Qual o significado delas. 
Vou de forma direta mostrar o significado delas para você. Depois cabe a você decidir quando usá-las.

Cc 
significa “carbon copy”, neste caso a mensagem é enviada para um destinatário e todos os endereços colocados na lista do campo Cc irão receber uma cópia da mensagem ficando com conhecimento de quem foi o destinatário original e de todos os endereços que receberam cópias.

Bcc 
significa “blind carbon copy”, neste caso o receptor da mensagem não visualizará para o grupo de emails que a mensagem foi enviada.

Espero ter ajudado, um forte abraço a todos.
Wellingon Pereira

segunda-feira, 24 de julho de 2017

LIMPAR O CACHE DO NAVEGADOR

O Cache do navegador é uma função muito útil para todos os visitantes diários da internet. Se você é um novato no desenvolvimento do site ou você é apenas um usuário regular que gosta de olhar alguns sites de vez em quando, você pode se perguntar: o que é um cache do navegador? Como dito anteriormente, o cache é uma ótima ferramenta que torna a experiência do usuário navegando na internet mais rápida e conveniente. Cache é um armazenamento temporário do navegador que armazena alguns arquivos de sites que você já visitou. Ele garante que a segunda vez que você visitar o navegador mesmo site não precisaria baixar todos os dados novamente. Isso torna a experiência de navegação muito mais rápida para o usuário.
No entanto, cache também pode causar problemas às vezes. Especialmente para desenvolvedores de sites que estão editando seus sites e precisam ver as mudanças na internet imediatamente. Se, por exemplo, uma imagem de plano de fundo do site foi armazenada no cache do navegador depois de visitar o site uma vez, a mesma imagem ainda pode ser exibida mesmo após o desenvolvedor alterá-lo para outro. E este é o momento em que você deseja limpar o cache do navegador.
Neste tutorial, aprenderemos como limpar o cache do navegador para vários navegadores de desktop, incluindo o Google ChromeMozilla FireFoxMicrosoft EdgeOpera e Safari.
Vamos usar a versão mais recente de cada navegador a partir de julho de 2016, mas estas etapas podem se aplicar a outras versões também.
O que você precisa?
Antes de começar este guia, você precisará do seguinte:
  • Um navegador instalado no seu computador.
Navegador 1 – Google Chrome
  1. Quando você tiver o Google Chrome aberto, clique no botão com 3 faixas no canto superior direito da tela.
  2. A partir daí, clique em Configurações.
    Settings location
  3. Uma vez dentro das Configurações, clique em Histórico na barra lateral esquerda.
  4. Agora clique em Limpar dados de navegação ….Clear browsing data location
  5. Você verá muitas opções para verificar. No entanto, precisamos limpar o cache neste tutorial. Verifique as imagens e arquivos em cache.
  6. Além disso, se você quiser limpar o cache da última hora ou do último dia, você pode selecionar uma opção diferente na caixa suspensa. Exclua os seguintes itens de:
  7. Basta clicar em Limpar dados de navegação e aguarde a janela fechar. Limpar as instruções do cache
    Clean cache instructions
Navegador 2 – Mozilla Firefox
  1. Quando tiver o Mozilla Firefox aberto, clique no botão com 3 faixas no canto superior direito da tela.
  2. A partir daí, clique em Opções.
    Settings location
  3. Uma vez dentro das Opções, clique em Avançado na barra lateral esquerda.
  4. Agora clique em Rede na barra de navegação superior.
    Advanced, Network locations
  5. Na seção Conteúdo da Web em cache, você verá quantos bytes / megabytes de conteúdo armazenado em cache serão armazenados no computador. Para limpar o cache, clique em Limpar agora.Clear now location
    NOTA! Você pode clicar no botão algumas vezes até ver que 0 bytes de conteúdo armazenado em cache são armazenados no computador:0 bytes
  6. (Opcional) Você pode fazer Mozilla FireFox um navegador sem cache muito facilmente. Na mesma página Opções -> Avançado -> Rede, na seção Conteúdo da Web em Cache há uma opção Substituir o Gerenciamento Automático de Cache. Marque a caixa de seleção e preencha 0 no campo Limitar cache até ….
    uncacheable browser
IMPORTANTE! Use isso com cautela, pois quando você não permite que o conteúdo seja armazenado no cache, o tempo de carregamento do site aumentará, o que afetará a experiência geral de navegação.
Navegador 3 – Microsoft Edge
  1. Quando tiver o Microsoft Edge aberto, clique no botão com 3 pontos no canto superior direito da tela.
  2. A partir daí, clique em Configurações.
    Settings location
  3. Uma vez dentro de Configurações, você deverá ver uma seção chamada Limpar dados de navegação. Clique no botão Escolher o que limpar.
    what to clear location
  4. Você verá muitas opções para verificar. No entanto, precisamos limpar o cache neste tutorial. Verifique os dados e arquivos em cache.
  5. Agora clique em Limpar.
    Clean cache instructions
  6. Depois de esperar por um pouco você deve ver Tudo Limpo! Mensagem que significa que seu cache foi desmarcado com êxito.
    All clear message.
Navegador 4 – Opera
  1. Quando você tiver o Opera aberto, clique no botão Menu no canto superior esquerdo da tela.
  2. A partir daí, clique em Configurações.
    Settings location
  3. Uma vez dentro das Configurações, clique em Privacidade e Segurança na barra lateral esquerda.
    Privacy & Security location
  4. Agora clique em Limpar dados de navegação ….
    Clear browsing data location
  5. Você verá muitas opções para verificar. No entanto, precisamos limpar o cache neste tutorial. Verifique as imagens e arquivos em cache.
  6. Além disso, se você só deseja limpar o cache da última hora ou dia, você pode selecionar uma opção diferente na caixa drop-down Excluir os seguintes itens de :.
  7. Basta clicar em Limpar dados de navegação e aguarde a janela fechar.
    Clean cache instructions
Navegador 5 – Safari
  1. Quando você tiver o Safari aberto clique no botão chamado Safari no canto superior esquerdo da tela.
  2. A partir daí, clique em Preferências.
    Settings location
  3. Uma vez dentro das Preferências, clique em Privacidade na barra de navegação superior.
    Privacy location
  4. Na seção Cookies e dados do site, você verá o botão Remover todos os dados do site …. Clique!
    Clean cache instructions
  5. Uma janela de confirmação aparecerá perguntando se você realmente deseja remover dados armazenados por sites. Clique em Remover agora.
    Remove now location
NOTA! O Safari limpa o cache e os cookies do seu navegador.
Conclusão
Você aprendeu a limpar o cache de vários navegadores para que você nunca precise ficar preso mostrando o conteúdo do site antigo .
Observe que o cache de limpeza não precisa ser uma tarefa diária, porque o próprio navegador substitui e exclui automaticamente os dados do armazenamento em cache.
A limpeza do cache do navegador é útil quando você não consegue ver o conteúdo atualizado no seu site ou o site parece estar no final, etc

POP3, SMTP e IMAP e Protocolos

É bem provável que vocês já estejam familiarizados com a tecnologia de comunicação mais utilizada – o email. Mas você já questionou a si mesmo como ele realmente funciona? Neste artigo, vamos aprender o que impulsiona este serviço.
Passo 1 – O que é POP3 e quais são as portas POP3?
POP3 (Post Office Protocol versão 3) é usado para se comunicar com o servidor de e-mail e baixar os e-mails para uma empresa de e-mail como o Outlook, o Thunderbird, o Windows Mail, o Mac Mail, etc. Deixar cópias dos e-mails baixados no servidor ou não. Se você estiver acessando a mesma conta de e-mail em diferentes dispositivos, é recomendável manter cópias remotas, caso contrário seu segundo dispositivo não baixará nenhum e-mail se o primeiro já os tiver excluído. Vale ressaltar também que o POP3 é um protocolo de comunicação unidirecional, o que significa que os dados são extraídos do servidor remoto e enviados para o cliente local.
Por padrão, as portas POP3 são:
  • Porta 110 – porta não criptografada;
  • Porta 995 – Porta SSL / TLS, também conhecida como POP3S.
Passo 2 – Qual é a diferença entre POP3 e IMAP e quais são as portas IMAP?
IMAP (Internet Message Access Protocol) como POP3 também é usado para recuperar e-mails para empresas de e-mail, no entanto, tem uma grande diferença – apenas cabeçalhos de e-mail são baixados, o conteúdo da mensagem de e-mail real são deixados no servidor. Este é um protocolo de comunicação de via dupla, uma vez que as alterações feitas no cliente de e-mail são transmitidas ao servidor. Ultimamente, este protocolo ganhou mais popularidade como gigantes do provedor de e-mail, como o Gmail, recomendo usar IMAP em vez de POP3.
Portas IMAP padrão:
  • Porta 143 – porta não criptografada
  • Porta 993 – Porta SSL / TLS, também conhecida como IMAPS
Passo 3 – SMTP para comunicação de e-mail de saída
O Simple Mail Transfer Protocol (SMTP) é usado para se comunicar com o servidor remoto para enviar o e-mail de um cliente local para o servidor remoto e eventualmente para o servidor de e-mail do destinatário. Esse processo é controlado pelo agente de transferência de email (MTA) em seu servidor de email. Além disso, o SMTP é usado exclusivamente para enviar e-mails.
Portas SMTP:
  • Porta 25 – porta não criptografada
  • Porta 465 – Porta SSL / TLS, também conhecida como SMTPS
Conclusão
Esperamos que agora você tenha uma melhor compreensão do serviço de e-mail e quais portas ele usa. Nós aprendemos que POP3 e IMAP são destinados para o mesmo propósito, mas têm uma abordagem diferente com IMAP deixando conteúdo de e-mail no servidor e POP3 baixar tudo para o seu computador. Também aprendemos quais são as portas SMTP, POP3 e IMAP padrão.

FUNÇÃO PHP mail()

Função PHP mail () pode ser usado para enviar e-mails usando PHP. É conveniente se você quiser implementar formulário de contato em seu site. Com correio PHP, e-mails podem ser enviados usando um simples script PHP. Neste tutorial, você aprenderá como enviar e-mails usando PHP e testar a função PHP mail ().

O que você precisa?

Antes de começar este guia, você precisará do seguinte:
  • Acesso à sua conta de hospedagem
  • Função PHP mail () ativada

Etapa 1 – Criando um novo arquivo PHP

Primeiro de tudo, você precisa criar um arquivo PHP em sua conta de hospedagem. Seu arquivo PHP deve ser acessível via nome de domínio, portanto, ele deve ser colocado dentro de pasta public_html. Para a criação de arquivos, você pode usar o File Manager ou o cliente FTP. Nomeie seu arquivo testmail.php.

Etapa 2 – Edição do arquivo PHP

Agora coloque o seguinte código dentro do arquivo testmail.php:
As duas primeiras linhas permitem erros de relatório para que você possa ver se o script tem algum erro e não está sendo executado.
  • $ From – Endereço do remetente do e-mail. Muitos provedores de hospedagem não permitem usar o endereço de e-mail aleatório aqui, então você precisa entrar. Um endereço de e-mail criado para o seu nome de domínio neste campo para autorizar e enviar com êxito o e-mail.
  • $ To – O endereço de e-mail do destinatário. Como você está enviando este para fins de teste pode ser seu e-mail pessoal.
  • $ Subject – O assunto do e-mail.
  • $ Message – O conteúdo da mensagem de e-mail.
  • $ Headers – Cada email tem cabeçalhos. Eles contêm informações vitais, tais como De endereço de e-mail.
  • Mail ($ to, $ subject, $ message, $ headers) – Esta é uma função PHP que executa o e-mail. Você não deve mudar nada nesta linha.
  • Echo “A mensagem de e-mail foi enviada.” – A função PHP echo exibirá uma mensagem na tela assim que um script for executado com sucesso.

Etapa 3 – Executando o script

Se (como recomendado) você colocou o script PHP no diretório public_html, agora você pode executar o script acessando yourdomainname/testmail.php. Se você ver a mensagem A mensagem de e-mail foi enviada no navegador, significa que o e-mail foi enviado com sucesso e você pode verificá-lo na sua caixa de entrada (não se esqueça de verificar as pastas SPAM / JUNK).
Se você receber algum erro, verifique se inseriu todos os detalhes corretamente. Se um erro não aparecer no navegador, você pode tentar verificar o arquivo error_log da sua conta. Se não tiver a certeza de como verificar este ficheiro, verifique este tutorial em registos de erros.


COMANDOS BÁSICOS SSH

ls – Mostra o conteúdo do diretório (lista de nome dos arquivos).
cd – Mudar Diretório.
mkdir – Criar uma nova pasta (diretório).
touch – Criar novo arquivo.
rm – Remover um arquivo.
cat – Mostrar conteúdo de um arquivo.
pwd – Mostra diretório atual (Caminho completo de onde você está agora).
cp – Copiar arquivo/pasta.
mv – Mover arquivo/pasta.
grep – Buscar por frase especifica em arquivo/linha.
find – Buscar arquivo ou diretório.
vi/nano – Editor de Texto.
history – Mostrar últimos 50 comandos usados.
O quê vai precisar?
Antes de começar este guia, você precisa seguir esses passos:
Acessar a um Terminal.
Passo 1 — Acessando servidor remoto
Recomenda-se ter um servidor virtual com um modelo recém-construído para que, se você acidentalmente excluir algo que não devia a ser excluído, você pode reconstruir o servidor e começar tudo a partir do zero.
SSH significa Secure Shell. É um protocolo usado para se conectar com segurança a um servidor / sistema remoto.
O comando básico que você deve usar é:
ssh user@serverip
Este comando conecta você a um servidor que tem um endereço IP do servidor e nome de usuário. Outra maneira, ainda mais simples de se conectar seria usar ssh do IP do servidor, dessa forma o SSH vai pensar que você está se conectando com o mesmo usuario que você está conectado com agora.
Depois de inserir este comando, você precisa colocar uma senha (se você estiver se conectando pela primeira vez, também será pedido com uma mensagem de aviso de que o servidor que você está se conectando não é reconhecido, basta digitar sim na linha de comando).
É isso, você está conectado e pode continuar lendo este guia sobre como gerenciar seus arquivos via Terminal! Se você quiser sair do servidor remoto e voltar para sua máquina local, basta digitar exit na linha de comando.
Um guia mais detalhado sobre como se conectar ao VPS usando o cliente de SSH do Putty pode ser encontrado aqui.
Passo 2 — Aprendendo os comandos
Nesta etapa, iremos passar pelos comandos do SSH principal/mais usados que você deve aprender!
IMPORTANTE Isso se aplica a todos os comandos no SSH. Ao escrever um argumento próximo ao comando, por exemplo, cd ‘Pasta Um’ (onde o nome da pasta consiste em duas palavras separadas), você deve digitar o nome da pasta entre aspas. Comando cd A Pasta Um (sem aspas) não funcionará, pois o SSH a interpretará com dois argumentos (“Pasta” e “Um”).
Ls – Este comando é usado para listar todos os arquivos e diretórios. Recomendamos usar este comando com uma opção -l, que seria ls -l, de tal forma, todos os arquivos serão listados de uma maneira mais conveniente e com mais detalhes / informações sobre eles. Outra opção útil é -a, isso também mostrará todos os outros arquivos também, que inclui arquivos / diretórios ocultos (arquivos de ponto com um . na frente deles, por exemplo: diretório .ssh).
cd – Este comando é usado para “andar” entre diretórios (cd significa do inglês “alterar diretório”). Depois de listar todos os arquivos e diretórios com ls, você pode escolher um diretório para “andar” . Por exemplo, digamos que exista uma home de diretório que você deseja inserir. Digite o comando cd home e você vai mudar instantaneamente o seu local atual para “home”. Você pode tentar usar ls novamente para ver que a informação que foi enviada para a tela foi alterada. Você também pode digitar um caminho completo para um determinado diretório se, por exemplo, você quiser inserir um diretório que é de poucos níveis de profundidade. Você pode usar por exemplo: cd home / TestDirectory / AnotherDirectory. Desta forma, você será imediatamente levado para o diretório chamado “AnotherDirectory”. Use o comando cd .. (espaço e dois pontos após cd) para subir um nível (no nosso exemplo, seremos movidos de volta para “TestDirectory” de “AnotherDirectory”).
Mkdir – Este comando é usado para criar um novo diretório (significa “make directory”). Ele simplesmente cria um novo diretório com o nome escolhido, por exemplo mkdir NewFolder irá criar um novo diretório com um nome “NewFolder” no seu diretório ativo atualmente (onde você está agora).
Touch – Este comando é usado para criar um novo arquivo com a extensão escolhida. Por exemplo, toque em NewFile.txt irá criar um novo arquivo “txt” chamado “NewFile” no seu diretório atual (a extensão poderia realmente ser qualquer coisa que você quiser, você pode até mesmo criar um novo arquivo sem extensão em tudo, por exemplo toque NewFile.
Rm – Este comando é usado para remover um arquivo / diretório escolhido. Por exemplo, rm NewFile removerá o arquivo criado anteriormente chamado “NewFile”. Se você deseja remover um diretório e todos os diretórios dentro dele, use rm -r NewFolder, isso irá excluir a pasta “NewFolder” e todas as outras pastas dentro dela.
Cat – Este comando é usado para exibir o conteúdo do arquivo. Por exemplo, cat info.txt trará o conteúdo do arquivo para a tela. Outro exemplo: info.txt do gato info2.txt> mergedinfo.txt irá mesclar dois arquivos juntos (“info.txt” e “info2.txt”) e escrever o conteúdo mesclado para um arquivo “mergedinfo.txt”.
Pwd – Este comando mostra sua localização atual no sistema de arquivos. Por exemplo, digite pwd, e pode mostrar algo como isto: “home / user / public_html”.
Cp – Este comando é usado para copiar arquivos e pastas. A sintaxe é:
Cp [opções] source dest
Basicamente, em vez de source, você escreve o arquivo que você deseja copiar. Em vez de dest, escreva o caminho de destino / pasta / arquivo. Agora, se você escreveu um nome de destino que não existe, por exemplo, você tem um arquivo de origem oldfile.txt e escreve um arquivo de destino newfile.txt, o bash simplesmente copiará o arquivo e o colará com um novo nome.
Além disso, aqui estão algumas opções que você pode usar com um comando cp:
Cp -f source dest – Força o procedimento de cópia removendo o arquivo de destino, se necessário.
Cp -i source dest – Dar-lhe-á uma mensagem de aviso antes de substituir o arquivo.
Cp -u source dest – Atualizar opção. Só copiará se o arquivo de origem for mais novo que o arquivo de destino.
Cp -n source dest – Não copiará se o arquivo já existir (não sobrescrever).
Cp -a source dest – Esta opção irá arquivar os arquivos.
  1. Mv – Este comando funciona da mesma forma que cp, mas em vez disso, move o arquivo em vez de copiá-lo. Esse comando também pode ser usado para renomear o arquivo. Se tomarmos o mesmo exemplo do comando cp, (no nosso diretório atual, teremos um arquivo oldfile.txt) e escreveremos este comando: mv oldfile.txt newfile.txt bash simplesmente renomeará o arquivo oldfile.txt para newfile. TXT.
  2. Grep – Este comando procura uma string dada em arquivos / pastas. Por exemplo: o arquivo grep ‘word’ procuraria uma palavra ‘word’ em um arquivo chamado “file”Grep retornará toda a linha do arquivo se a frase for encontrada. Por exemplo, há uma linha ‘Tudo em tudo é apenas outra palavra em uma frase’ no arquivo chamado “arquivo“, usando o comando grep ‘word’ arquivo, esta linha será enviada para a tela desde que a palavra é encontrada.
  1. Find – Agora este comando é usado para pesquisar pastas para um arquivo ou arquivos que atendam aos critérios dados (nome, tamanho, tipo de arquivo). Por exemplo: find. -name “* .html” Este comando irá mostrar todos os arquivos no diretório atual que têm uma extensão / extensão de “.html” (observe como usamos o símbolo “*” no nosso comando, que é um coringa que basicamente diz ao bash que Não importa como o arquivo é nomeado antes da extensão “.html”, é apenas importante que o arquivo termine com “.html”.
  1. Vi / nano – Este comando é usado para entrar em um editor de texto. Por exemplo, nano newfile irá criar um novo arquivo chamado “newfile” e iniciar o nano editor ou editar um arquivo existente “newfile” (se existir) com o nano editor. A mesma coisa se aplica para o comando vi, que inicia outro editor chamado “vi”.
IMPORTANTE: nano, ao contrário vi não é um editor padrão, você provavelmente vai ter que instalá-lo primeiro se você deseja usá-lo. Você pode encontrar um guia sobre como instalar o editor nano aqui.
History – Este comando é usado para exibir os últimos comandos usados. Por exemplo: o histórico 20 mostrará os últimos 20 comandos inseridos no Terminal.

O QUE É PDF?

É uma sigla inglesa que significa  Formato Portátil de Documento  ( Portable Document Format - PDF).  É um formato de arquivo usado para e...